Notícias

Prefeito de Anchieta esclarece polêmicas sobre possível ato de improbidade administrativa

Postada em 24/10/2014

Em entrevista ao Jornal Tribuna Regional, realizada no dia 20 de outubro, na Prefeitura Municipal, o Prefeito Ari Prestes de Oliveira fez alguns esclarecimentos sobre a polêmica de que ele teria seus bens bloqueados pela Justiça devido improbidade administrativa

 

O Prefeito ressaltou que a ação judicial, a qual se reporta o assunto, é referente aos serviços de silagem. “Os serviços de confecção de silagem são feitos em forma de bônus para os nossos agricultores. Por meio da nota de produtor rural eles têm direito a horas/máquinas e, como a grande maioria se dedica a produção leiteira, optaram pelos serviços de silagem. Parte desse trabalho é feito pelos maquinários da Prefeitura Municipal e parte é feito por máquinas terceirizadas. O processo que gerou a ação judicial aponta que esse fato ocorreu em janeiro, porém, na nossa defesa, constamos que nesse período os serviços foram prestados com as máquinas do Município e a partir do processo licitatório terceirizamos os serviços. Esse é o nosso entendimento e a nossa defesa. Não houve nenhum ato de improbidade administrativa. No final do processo, após todas as informações serem averiguadas, cabe ao Ministério Público chegar a um entendimento. A interdição dos bens é a garantia de uma possível condenação, essa é uma ação normal desse processo”, explicou.

“A nossa preocupação maior é esclarecer esse acontecimento para a população. Queremos que todos entendam que esse processo cai sobre um serviço que foi executado, por isso não concordamos com a acusação de enriquecimento ilícito. É importante entender que o serviço de hora/máquina foi contratado e terceirizado por pessoas do Município. Essa é a razão do processo”, enfatizou.

Essa ação aconteceu em 2013. Ari Prestes de Oliveira tranquilizou os agricultores e disse que o bônus continuará sendo dado, por isso é importante que todos continuem emitindo a Nota Fiscal de Produtor Rural.