Notícias

Bom Jesus do Sul se prepara para desfile de 7 de setembro

Postada em 0000-00-00 00:00:00

Várias entidades deverão participar

A data está marcada! O tradicional desfile será no dia 7 de setembro, a partir das 9h na Rua São Paulo. Em reunião realizada na quarta-feira, 10 de agosto, ficou definido a participação de várias entidades do município, segundo Clauderi Farias, Secretário de Educação.

Instituições como escolas municipais, escolas estaduais e Centro de Tradições Gaúchas-CTG deverão marcar presença no evento no dia da comemoração os 194 anos da independência do Brasil. “É uma data importante porque podemos trabalhar isso nas escolas e nas entidades as questões ligadas ao patriotismo, à importância desses momentos e para podermos refletir frente ao momento que o país está”, destacou o secretário.

O evento está em fase de preparação e vai contar com a apresentação temática. “Conversamos e definimos uma liberdade de escolha de temas para cada entidade. Então cada uma vai representar algum tema como, por exemplo, ao patriotismo, ao respeito que a gente precisa ter com o nosso país”, afirmou Claudecir.

A expectativa é de que mais de 2000 pessoas desfilem. Ônibus serão disponibilizados nas comunidades do município. O horário e o trajeto serão embasados na rotina do transporte escolar. Saída: 8 horas da manhã.

Há 194 anos ocorria o Dia do Fico

O episódio foi importante para a emancipação do país

O processo de Independência do Brasil, um dos fatos históricos mais importantes do país, teve início com o Dia do Fico. Aconteceu em 9 de janeiro de 1822, quando D. Pedro I recebeu uma carta das cortes de Lisboa exigindo seu retorno a Portugal. A sua presença no Brasil impedia a ideia dos portugueses de recolonizar o país, e ele respondeu negativamente aos chamados, dizendo: “Se é para o bem de todos e felicidade geral da nação, diga ao povo que fico”. Este fato ocorreu há 194 anos.

A partir do Dia do Fico, D. Pedro tomou uma série de medidas rumo à Independência do Brasil. Ele convocou uma Assembleia Constituinte, organizou a Marinha de Guerra, obrigou as tropas de Portugal a voltarem para o reino e determinou que nenhuma lei de Portugal fosse colocada em vigor sem a sua aprovação. O futuro imperador do Brasil também incentivava o povo brasileiro a lutar pela sua independência.

Em 7 de setembro de 1822, o Brasil comemorou sua independência, deixando, oficialmente, de ser colônia de Portugal e reconquistando sua soberania.

Independência do Brasil

Com a chegada da família real portuguesa ao Brasil, em 1808, e a abertura dos portos às nações amigas, o Brasil encontrava-se com bastante autonomia em relação a Portugal. O que ligava uma colônia a sua metrópole era o chamado Pacto Colonial. Isso significava que a colônia poderia fazer negócios (políticos e comerciais) apenas com a metrópole.

Mesmo com a família real no Brasil, a abertura dos portos praticamente deixou a colônia livre do Pacto Colonial. Em 1822, o país conseguiu sua soberania, ou seja, o poder supremo maior, quando a nação pôde determinar seus próprios caminhos.

O grande motivo da proclamação da independência foi a tentativa de retomar o Pacto Colonial por parte dos portugueses. O ultimato para a submissão da colônia ao país, recebido por Dom Pedro, no dia 7 de setembro, foi recusado e marcou o fim do domínio de Portugal e a conquista da autonomia política do Brasil.

Antes do marco histórico, outras tentativas haviam ocorrido e muitas pessoas morreram na luta por este ideal.

O Grito do Ipiranga, segundo a historiografia clássica do país, pois alguns historiadores contestam esta versão, ocorreu às margens do riacho Ipiranga e da seguinte maneira: D. Pedro havia recebido uma carta com ordens de seu pai para que voltasse a Portugal, porém, ele teria levantado a espada, gritando: “Independência ou morte!”. Este fato ocorreu no dia 7 de setembro de 1822 e marcou a Independência do Brasil. Em dezembro do mesmo ano, D. Pedro foi declarado imperador do país.

Gazeta da Cidade