Notícias

Princesa: Edilson Volkweis assumirá a prefeitura com plano de redução de gastos

Postada em 08/10/2016

Proposta prevê a redução nas despesas administrativas e com pessoal

Edilson e Diangele ganharam a eleição na majoritária com 1.172 votos, 50,76% dos válidos. Para ele, a expectativa de ganhar sempre existiu, apesar da definição do seu nome acontecer dias antes do prazo limite. “Sempre tem a chance de ganhar. Entramos de última hora e aceitamos o desafio. Mesmo sem muita perspectiva, encaramos isso como uma oportunidade de levar uma ideia diferente, um jeito diferente de fazer campanha, sem dinheiro, sem promessas. Foi uma campanha simples. Levamos as propostas para o eleitor decidir o futuro do Município”, afirmou.

Como candidato eleito, um dos primeiros passos é a composição da câmara. Das nove vagas, três foram preenchidas por vereadores da sua coligação. “É hora de mudar” é composta pelo Partido do Movimento Democrático Brasileiro-PMDB e Partido da Social Democracia Brasileira-PSDB.

Isso não representa um empecilho. “Ninguém entra na política para trabalhar contra o povo. Isso é uma questão partidária que vamos negociar com os outros vereadores, assim como a composição do secretariado”.

Os eleitos para o legislativo pela coligação foram os seguintes: Alemão com 145 votos; Roque Frank, 126 votos e Lucas Theisen com 125 votos. Os demais, integram a chapa da oposição, composta pelos partidos Partido Progressista-PP, Partido dos Trabalhadores-PT, Partido da República-PR, Partido Social Democrático-PSD e Partido Popular Socialista-PPS e que teve Nico como candidato a majoritária: Vilson Dallo com 200 votos; Silmar Franco, 198; Fabi Pancotte, 187; Valdemiro Giehl, 170; Mano Markus, 132 e Leandrinho com 114 votos.

Além disso, não há uma definição de nomes que vão atuar na administração. “Vamos formar um conselho de administração que vai avaliar os candidatos. Os vereadores eleitos podem indicar nomes, mas vai ter um conselho que vai avaliar se a pessoa tem um perfil, um conhecimento necessário pra exercer a função”, disse.

A ideia é a formação de um grupo de trabalho com pessoas capacitadas. A essa questão está acoplada a redução de gastos. A pretensão, segundo Edilson, é cortar, por exemplo, os cargos de confiança.

Esses cortes podem ser essenciais para a aplicação de mais recursos nas diversas áreas e setores. O candidato eleito tem metas sobre a aplicação de dinheiro. “Temos metas bastante ambiciosas e pra isso vamos ter que buscar dinheiro fora. Temos um partido forte, uma boa estrutura partidária e vai ter uma boa equipe pra fazer projetos. Vamos tentar trazer dinheiro para cá, pra cumprir as principais metas como, o desenvolvimento do Centro de idosos, Centro de eventos, a construção de uma Praça, colocação de calçamento e asfalto”, disse.

A saúde é uma área que está na lista de ações. O recurso destinado deve passar para 20%. “Pensamos em aumentar o orçamento. Ouvimos reclamações de falta de exames e remédios. Vamos reduzir gastos para sobrar mais dinheiro e aumentar o percentual que se destina, que hoje está em torno de 18%”, salientou.

Além disso, problemas devem ser solucionados, como é o caso da falta de vagas na creche municipal. O candidato eleito também se compromete a pesquisar e aplicar o que tem dado certo em outros Municípios. Será feito pesquisas em rankings e, consequentemente, a visita aos Municípios que se destacam em alguma área. A ideia é aplicar em Princesa ações que tem dado resultados positivos.

 Edilson também agradece a população pela sua conquista. “Gostaria de agradecer a confiança de cada um que confiou na nossa proposta, quem acreditou e todos que foram para a rua pedir voto. Teve um bom engajamento de todo mundo. Foi com as novas ideias que chegamos aqui, mesmo com uma estrutura partidária pequena”, finalizou.

A eleição para a majoritária contou com 2.309 votos válidos. O Município teve um eleitorado de 2.570 que estavam aptos a votar no dia 2 de outubro. A abstenção foi de 185, o que correspondeu a 7,20%.