Notícias

Dionísio Cerqueira: Eleito, vereador mais votado da oposição diz que o desenvolvimento depende do trabalho conjunto entre coligações e partidos

Postada em 20/10/2016

Ivolnei Tenroller se elegeu com 489 votos, o que representa 5,15% dos válidos. O candidato eleito fala sobre o trabalho no legislativo a partir de 2017 e elenca as principais demandas de trabalho para o Município.

Como você avalia o sucesso da votação e quais os planos a partir de 2017?

O sentimento que tenho é de gratidão. Quero agradecer a todos que depositaram a confiança no trabalho da gente. Agradecer a cada um que nos recebeu e ouviu as nossas propostas, em especial aos 489 que confiaram no nosso trabalho e que depositaram o voto de confiança. Também quero fazer um agradecimento a todas as lideranças que nos ajudaram. A campanha não é feita sozinha e nós só chegamos lá porque tivemos um grupo nos ajudando, as lideranças do interior, um grupo na cidade. Nem sempre se consegue estar em todos os lugares. Quando não estava, sempre tinha um companheiro levando a nossa mensagem e nome. Isso ocasionou a nossa eleição e a votação que fizemos.

Quais são as propostas de trabalho?

Quando estava no processo de definição de candidaturas, a primeira intenção não era de ser candidato. A gente acompanharia o processo, ajudaria um companheiro ou outro. Depois na direção do sindicato, com grupo de lideranças, acabamos avaliando e pela importância de ter essa relação da política com a agricultura e entidades assumimos o desafio colocando o nome à disposição. A ideia é de se ter um mandato fazendo essa relação muito forte com a agricultura familiar, com as entidades da agricultura familiar e também fazendo todo um debate com a juventude do Município. Temos uma demanda com a juventude, de trabalho a ser feito. Também é de se ter um mandato acompanhando todo esse processo da administração, fazer com que o Município cresça e se desenvolva, que a saúde e educação funcionem bem, que se consiga ter uma política que gere empregos, que a economia se consiga desenvolver. A administração tem um desafio grande. Nós, na condição de vereadores, devemos acompanhar esse processo todo. A aduana é uma delas. A Aduana e a agricultura são os grandes propulsores da economia do Município. A aduana precisa funcionar melhor do que vem funcionando. Temos um mandato para acompanhar esse processo todo.

Qual a sua visão sobre a aduana?

Nós tivemos um período, em 2011, 2012, que chegou a transitar mais de 22 mil caminhões no ano. Hoje são uns 10 mil. Tinha toda uma expectativa com a aduana nova, de que pudesse aumentar o trânsito. A expectativa era de chegar a 136 mil caminhões no ano.  A esperança é de que se pudesse ter um ponto de distribuição para que fosse organizado uma demanda para o restante da região. As cargas viessem e fossem além. Hoje, como tem alguns problemas operacionais, na receita, acaba não atendendo da forma que é necessário. Os caminhoneiros e empresas estão buscando outras rotas, mesmo que a nossa seja a melhor delas, por distância, mas por uma questão burocrática acabam não passando por aqui. Claro que isso não é o vereador sozinho que vai definir, mas quero ser parceiro, somar forças com quem estiver à disposição para estar fazendo essa caminhada junto.

E o que se percebe na agricultura?

A gente compreende a importância que tem a agricultura familiar, não só em Dionísio, mas de forma geral. Ela tem um impacto muito forte na economia dos Municípios, principalmente nos pequenos. Tem toda a situação do leite. Dionísio tem um potencial muito grande que precisamos discutir, centrar mais força pra a questão do produtor local. Hoje, ainda grande parte dos alimentos que são consumidos aqui vem de fora. Precisamos dedicar mais de atenção na linha de organização da produção, organizar pra atender a demanda dos mercados pra que não precise vir de fora. Além de estar aqui, esse é um recurso que vai girar no Município. Vai gerar mais emprego, vai gerar mais renda e com produtos de melhor qualidade. A produção em grande escala é muito voltada para a produção com agrotóxicos. Podemos ter um produto diferenciado, produzido no Município e que o valor fique girando aqui. Um produto de fora, por exemplo: de dez reais, vai ficar o que no Município? Dois reais? Três reais de margem de lucro? Se esse mesmo produto for comprado no Município, os dez reais vão ficar. Esse é um processo importante que precisamos dialogar.

Espera fazer um bom trabalho sendo vereador da oposição?

Com certeza. Antes de ser vereador eu sou um munícipe cerqueirense. Nasci em Dionísio Cerqueira e espero passar toda a minha vida aqui. Como munícipe, a gente espera sempre que haja crescimento. Na condição de vereador, podemos contribuir para isso. Sobre a questão de ser oposição ou situação, passamos por um momento eleitoral. A eleição passou. Um lado ganhou e temos que trabalhar para que as coisas aconteçam. O que estiver no nosso alcance e achar que seja correto e pro bem do Município, com certeza vai aprovar.

A quem você agradece por essa oportunidade de integrar o legislativo a partir de 2017?

Com muito carinho quero agradecer a todos que nos receberam, que depositaram o seu voto de confiança. Queremos fazer o máximo possível para honrar a confiança que foi depositada. Agradecer também as lideranças que levaram o nosso nome para os vizinhos, amigos. Mais que agradecer, quero deixar meu nome à disposição. A ideia é de ter um mandato muito participativo. Então, todos fiquem à vontade pra nos procurar, cobrar e sugerir. É importante ter essa relação após a campanha. Mensagem também de um bom final de 2016 e um ótimo 2017.