Notícias

Saúde, educação, emprego e agricultura são prioridades de Marco e Faé para crescimento de Barracão

Postada em 20/10/2016

Em entrevista, Marco destaca o prosseguimento das atividades após a vitória nas urnas. O atual prefeito conseguiu a reeleição no pleito de dois de outubro com 40,56% dos votos. A disputa foi contra dois candidatos: Jorge Santin, atual vice-prefeito, e Vanderlei Centenaro. Jorge tinha como companheiro, na majoritária, o vereador Deoclécio Duarte. Eles obtiveram 35,40% dos votos. Vanderlei e Gilberto Razera concorreram com chapa pura e conseguiram 24,04%.

Como o senhor avalia o resultado do pleito das eleições?

Minha avaliação é totalmente positiva. Nas últimas eleições, não a última, mas as anteriores, o resultado da urna foi sempre inferior a esse de 304 votos dessa última eleição entre a nossa candidatura e a candidatura que ficou em segundo lugar. Foi totalmente positiva. Antes era em torno de 200 e poucos votos que foi a diferença entre o Presidente da Câmara, Aldérico Slongo, quando se candidatou contra o ex-prefeito Antenor Dal Vesco. Eu mesmo quando fui candidato a prefeito na primeira vez contra o ex-prefeito Joarez, a diferença pra ele foi de 283 votos. Nessa eleição, foi uma diferença e totalmente positiva em virtude de três candidaturas. Foi uma eleição diferente de todas as outras. A legislação mudou muito nesse último pleito. Foram 45 dias, que no fim é menos. Na questão de material de campanha e organização acaba se tornando uma eleição de 35 dias.  Acho que a união desse novo grupo político, com antigos companheiros e com novos, como o caso dessa eleição que esteve conosco o Partido dos Trabalhadores-PT e Partido Progressista-PP, vieram a somar. O nosso vice-prefeito eleito, Erondi Faé, têm outros grupos, outras lideranças que somaram e foi muito positiva essa nova configuração que se deu no nosso lado nesse último pleito eleitoral.

O trabalho frente ao executivo foi reconhecido pela população, visto que, houve mudanças no contexto da política e por si só ela é dinâmica. Em Barracão houve mudanças com relação à composição dos partidos políticos?

Essa foi uma eleição diferente em que a população, de certa forma, fez uma revolta em virtude da política nacional, dos escândalos na política de maneira geral. A população protestou nas urnas contra quem estivesse no poder. Isso aconteceu em todo o Brasil. Você pode fazer uma avaliação da quantidade de prefeitos bem avaliados pela população que acabaram derrotados nas urnas. Essa derrota foi até para candidatos desconhecidos, que nunca foram políticos. A população protestou. Felizmente tivemos o reconhecimento da população que nos deu essa vitória que eu considero muito importante. Foi uma vitória consagradora, em virtude de serem três candidatos. Os dois candidatos foram bem votados. A gente reconhece isso, mas o que houve foi o reconhecimento pelo nosso trabalho. Foi o reconhecimento e a confiança. A população depositou a confiança da administração pública nos próximos quatro anos em minhas mãos, do Faé, do nosso grupo político. A população cobrou e ela votou muito mais na confiança, em quem eles confiam mais. Observamos no resultado da política: de norte a sul, de leste a oeste do Brasil.

Marco, dentro das obras prioritárias desenvolvidas nos últimos quatro anos, quais o senhor considera que tiveram mais peso para o crescimento do Município e com base no que foi concretizado e no anseio da população, o que será prioridade para os próximos quatro anos?

Trabalhamos bastante com a principal deficiência que existia no Município e que era o principal anseio da população: saúde. A saúde foi o foco principal. Trabalhamos muito e a prova disso foi o investimento que fizemos em veículos, em pessoal. Fizemos a reforma de todos os postos de saúde, a construção de mais dois postos que devemos inaugurar nos próximos dias ou nos próximos meses. Adquirimos duas ambulâncias, reformamos e ampliamos o posto de saúde do Bairro Industrial e funcionamento. Investiu em medicamentos, consultas com especialistas. Foi um investimento muito pesado na saúde e na educação não foi diferente. Na educação das creches, dobramos o número de vagas. Implantamos o horário diferenciado que é das 7hs da manhã às 19hs da noite. Construímos, através de uma parceria com o poder judiciário, uma creche no antigo fórum. Iniciamos as obras de uma Creche no Bairro Nossa Senhora de Lurdes. Na semana passada dei a ordem de serviço para a reforma completa na creche existente no Bairro Industrial.

Também tem a questão do Instituto Federal do Paraná, essa conquista que tivemos através do Consórcio Intermunicipal da Fronteira-CIF e que atende a região. A questão na Unetri é uma necessidade nossa. Com o fechamento da Faculdade da Fronteira-FAF, houve a necessidade de se ter uma nova faculdade presencial, com cursos presenciais. Através de parceria com os empresários locais, viabilizamos uma nova faculdade em Barracão que deve iniciar as atividades no início de 2017.

Na geração de empregos e renda: atraímos indústrias como o Los Paleteros. Também tem a questão da agricultura. Ela será o nosso foco a partir do ano que vem. A população demonstrou que houve uma deficiência no atendimento. Temos que ter humildade de reconhecer as falhas e acredito que essa foi uma falha muito demonstrada no pleito eleitoral. Estamos aí pra melhorar e corrigir as deficiências. Sabemos que é por aí: trabalhar a produção de leite que é muito importante, não esquecendo dos demais produtores. Vamos enfrentar os próximos anos com dificuldades, em virtude da crise que vivemos, tanto na esfera da administração pública, como da iniciativa privada. Vamos pensar muitas questões administrativas para continuar honrando nossos compromissos, como nós fizemos nesses três anos e meio de mandato. Fomos bem avaliados, através do índice Firjan. Barracão nunca tinha sido tão bem avaliado. Na educação tivemos uma avaliação positiva, no IDEB. Barracão deu um salto nos últimos anos da nossa administração. Tivemos também a felicidade e a honra de ter as contas aprovadas do ano de 2013-2014. Temos o parecer do Tribunal de Contas do Estado do Paraná pela aprovação das contas de 2015. Temos que prosseguir dessa forma, administrando com seriedade e responsabilidade o dinheiro público. Essa foi uma das questões que a população viu e reconheceu e acabou votando no nosso nome.

As parcerias com o Governo do Estado e Governo Federal serão levadas em consideração? Como será a sintonia com Erondi Faé, eleito para vice? Como isso vai influenciar na busca por recursos?

A parceria com Faé só solidificou durante o período eleitoral e deve aumentar através do mandato, pela força de vontade que ele tem e pela vontade de trabalhar. Ele foi meu adversário, mas fomos colegas no legislativo no passado. Sempre nos respeitamos e eu sempre reconheci a vontade de trabalhar do Faé. Esse foi um dos motivos que levou todo o nosso grupo a escolhê-lo como candidato a vice. A escolha vai ser importante na questão política, uma vez que Faé tem importantes lideranças do seu partido que nos apoiaram durante o período eleitoral e que vão apoiar a nossa administração. Posso citar a Cida Borghetti, vice-governadora do Paraná, além de deputados. Essa parceria que nós temos, não só com o Faé, com todo o grupo político, vai possibilitar os investimentos. Todos os partidos que compõe a nossa coligação têm representatividade, tanto no Governo Estadual, como no Governo Federal. Meu partido hoje, o PMDB, está como Presidente da República. Isso vai nos ajudar e muito a administração a partir do ano que vem.

Sempre se observou que você comparece ao legislativo municipal. Essa postura de procurar empreender mais esforço pra que haja um bom relacionamento com o legislativo prossegue?

Fui vereador e sei da importância deles pro Município. Essa parceria vai só aumentar. Fui um prefeito muito presente na Câmara de Vereadores, quero continuar e até aumentar essa frequência pra conversar com os vereadores que são os representantes do povo. Essa conversa vai se dar com todos os setores da sociedade. Isso a população nos cobrou essa sugestão vai servir para nós melhorar e ampliar esse debate com todos os setores. Só quem ganha com isso é a população. Vamos procurar, cada vez mais, ampliar esse debate pra que possamos estar em sintonia com os anseios da nossa população.

Sobre a equipe de governo: vocês estão tabulando, elencando nomes. A população pode esperar mudanças?

Haverá mudanças. Houve mudanças no quadro político da nossa coligação. Outros departamentos, acredito que não deverá haver mudanças. Temos que ver isso e discutir com o grupo político. Não discutimos isso ainda. A prioridade do momento é fechar o ano. Queremos que 2016 seja como foi em 2013, 2014 e 2015. As contas foram aprovadas e para isso temos que focar na administração. É um momento difícil pra todas as prefeituras e para os governos. Estou acompanhando a situação de prefeituras e governos dos Estados atrasando salários. Em Barracão estamos mantendo os salários em dias, mantido em dia os nossos fornecedores. Não podemos deixar que isso mude, mas pra isso o prefeito tem que focar na administração. Tenho ido todos os dias na prefeitura trabalhar para fechar o nosso mandato, sem esquecer das obras em andamento, das novas que estamos iniciando este mês. Temos algumas ordens de serviço para dar. Hoje tive a felicidade de receber mais uma notícia boa: empenharam e autorizaram a licitar mais um rolo compactador para o nosso parque de máquinas, através de uma emenda. Não podemos parar, a população necessita que os administradores foquem e pensem no trabalho.

Qual é o seu sentimento de gratidão que você e o Faé foram recebidos durante os 45 dias da campanha?

Quero agradecer a imprensa, principalmente ao Jornal Tribuna Regional pelas oportunidades que nos deram em estar em contato com a população. Agradeço a minha família, esposa e meus filhos que me apoiaram nesse momento. Agradecer a todas as famílias do nosso grupo político, as pessoas do grupo que abrirão mão da convivência com seus familiares pra que pudessem sair de casa em casa pedir o voto. Agradecer aos vereadores, cabos eleitorais, grupo político, lideranças e principalmente a população e também ao Faé e a família dele.