Notícias

Flor da Serra do Sul: Lucinda Rosa e Ceni Rimoldi falam sobre as prioridades na gestão 2017/2020

Postada em 01/11/2016

Lucinda foi reeleita com 544 votos de vantagem. Ela atuará, a partir de 2017, com Ceni, eleito a vice e que também é o Presidente da Câmara de Vereadores. A chapa vitoriosa recebeu 2.417 votos. Em entrevista, eles destacam perspectivas após a eleição e trabalhos que serão realizados.

Jornal: Prefeita Lucinda, de que forma a senhora interpreta esses números que foram obtidos em Flor da Serra do Sul?

Lucinda: Foi uma vantagem muito boa. Foi reconhecimento dos quatro anos que estivemos à frente do executivo.

Jornal: Dentro desses quatro anos que se encerra, o que mais lhe chama atenção e o que mais lhe dá satisfação daquilo que foi planejado e daquilo que foi executado?

Lucinda: Quando assumi, há quatro anos, foi com muita dificuldade. Foi muito difícil o mandato. Estávamos entrando pela primeira vez na política e não tínhamos experiência que deveríamos ter. O nosso mandato foi um período com luta e trabalho e conseguimos chegar onde estamos. Estamos no final do mandato com a cabeça erguida.

Jornal: Se falando em obras, o que a senhora considera como avanço que foi possível realizar?

Lucinda: Foram várias obras. Uma das que marcou muito foi um Colégio que adquirimos na Linha Tatetos. Tínhamos muita dificuldade com ensino. Era um Colégio Estadual e bastante velho e que tinha que realizar muitas reformas. Através do nosso deputado conseguimos fazer um Colégio. Também conseguimos uma creche que está sendo construída. Também tem a reforma do posto de saúde. Quando assumimos o posto estava em péssimas condições. Através do Deputado Assis foi possível conseguir uma verba e realizar a reforma. Uma obra também que contou muito no mandato foi o asfalto na linha Picadão. Muitas vezes era preciso passar por Salgado Filho para se chegar em Flor da Serra do Sul.

Jornal: A senhora entra no segundo mandato com algumas obras em execução. Acaba um governo e começa outro com obras em andamentos em especial essa da creche nova e também tem a casa mortuária?

Lucinda: A casa mortuária também foi de grande relevância. Foi de muita vantagem. Antes víamos que não tinha um lugar próprio para os velórios. Conseguimos através do deputado uma emenda e também ampliamos duas peças na creche. Não havia mais espaço para as crianças. Foi possível colocar mais 60 crianças. A demanda é muito grande. Temos mais. Essa creche está em andamento. Até o ano que vem deve ser concluída porque tem demanda. Até 2018, não podemos deixar em casa as criança de 0 a 4 anos. Deve ter creche para todos.

Jornal: Para os próximos quatro anos, dentro do plano de governo e do que vocês ouviram do cidadão durante a campanha eleitoral, o que será prioridade?

Lucinda: A secretaria da Saúde. O primeiro passo é ter um posto de saúde bom, uma equipe de funcionários boa. Estamos hoje com cinco médicos. Temos pediatra, médico que atende as mulheres. Temos três médicos no posto diariamente. Atendemos também o interior. Na linha Santa Terezinha conseguimos mandar uma van buscar as pessoas duas vezes na semana para vir consultar na cidade. Não é só a saúde. Depois da saúde vem a educação e depois o setor rodoviário e as demais secretarias.

Jornal: Para o setor rodoviário existe alguma máquina que apresente demanda e que vai necessitar recursos?

Lucinda: Quando assumimos, o setor rodoviário estava em péssimas condições. As patrolas nem se quer tinham pneus. Tivemos uma dificuldade no começo para arrumar o maquinário e colocar para trabalhar, mas hoje, temos duas retroescavadeiras. Antes tínhamos apenas uma. Também conseguimos uma patrola nova. Foi comprado mais um caminhão. Carros e motos também. Todas as secretarias ganharam um carro para o trabalho. Também compramos um rolo e que vai chegar nas próximas semanas. Para o próximo ano temos demanda para comprar mais um equipamento para fazer açudes. Temos um trator esteira, mas é pouco para o Município. No decorrer dos anos temos ideia de comprar uma reta escavadeira e um trator de esteira. Porque o rolo era uma demanda grande, mas já conseguimos. Tínhamos um.

Jornal: Você entra num segundo mandato de forma tranquila?

Lucinda: Graças a Deus. Esses quatro anos que se findam para mim foi um aprendizado. Aprendi muito. Agora não. Entramos em 2017 com mais sabedoria na administração pública. Vai ser muito bom porque sabemos em que secretaria pedir recurso. Temos também mais de oito deputados que deram a palavra de apoio durante a campanha. Pra nós é uma vantagem para desenvolver um trabalho melhor. E nesses quatro anos temos que buscar mais, trabalhar mais pelo Município. Se trabalhamos bem nesses quatro anos vamos ter que sobrar isso, trabalhar melhor ainda.

Jornal: É um governo de continuidade. Vai ocorrer mudanças?

Lucinda: Vai ter mudanças. Em muitas secretarias vamos mudar. Ainda não definimos nomes.

Jornal: Foi bom o contato com o legislativo nesses quatro anos? Qual a expectativa para os próximos anos?

Lucinda: Nesses quatro anos só tenho que agradecer a Câmara de Vereadores. Só temos que agradecer aos nossos vereadores. Quando fui eleita elegemos quatro vereadores, mas agora estamos com seis. Esses seis vieram nos acompanhando desde o início. Aprovaram os nossos projetos. Não tivemos dificuldades. Espero que a partir de 2017 seja melhor ainda. Tenho certeza que a Câmara estará do nosso lado ajudando a administrar Flor da Serra do Sul.

O vice-prefeito também responde a questionamentos. Acompanhe:

Jornal: Eleito como vice-prefeito, como você avalia o resultado da eleição e a experiência como candidato depois de ser vereador e ocupar secretaria municipal?

Ceni: Agradeço a população pelos votos. Foi um resultado expressivo. A gente tem uma larga experiência como político: vereador, duas vezes presidente da Câmara. Estou preparado para ajudar a Lucinda nos próximos quatro anos.

Jornal: Como será a participação do vice-prefeito no governo?

Ceni: Tenho certeza que vou ter o meu espaço. Eu não quero tomar o espaço de ninguém, mas vou me colocar como vice-prefeito, do lado da prefeita naquilo que for preciso ajudar. Tenho uma experiência mais na área da agricultura. Estou querendo auxiliar nesses setores.

Jornal: Como será o atendimento aos munícipes?

Ceni: Na medida do possível estaremos auxiliando: levando recados, fazendo cobranças. O político tendo contato com o povo ele é conhecedor do que ele necessita. Isso que temos que fazer: estar em contato com as pessoas. Temos que visitar e ver a situação para levar a demanda até nós. A população espera isso de nós.

Jornal: Com essa experiência no legislativo, talvez você seja um canal de conversação. O senhor estará à disposição nesse contato?

Ceni: Quero também agradecer os candidatos que pleitearam uma eleição. Dos vários elegemos seis. Todos os candidatos eleitos são do bem, pessoas com experiência política. Alguns novos e outros que já foram vereadores. Vamos estar presente. Queremos fazer um acompanhamento na reunião da Câmara e ajudar naquilo que for necessário. Sou parceiro dos vereadores. Tenho certeza que todos os vereadores vão fazer um excelente trabalho.

Jornal: Na condição de vice-prefeito você será um batalhador para mais portas puderem ser abertas para Flor da Serra do Sul?

Ceni: Desde a outra gestão estamos aí pleiteando. Fui vereador e conseguimos recursos com nossos contatos políticos na esfera estadual e federal. Estaremos juntos nesse processo. O vice-prefeito é uma peça a mais para cobrar diante das esferas. Já temos alguns contatos e vamos cobrar. Tem que ser feito uma organização e ver quais as necessidades, as prioridades e escolher, protocolar e procurar para que isso aconteça.

Jornal: Na questão da agricultura, essa área terá um acompanhamento maior da sua parte?

Ceni: Sou da agricultura familiar, produtor de leite e produtor de grãos. Sei da necessidade de um agricultor. A agricultura passa por dificuldade e temos algumas ideias, inclusive estivemos reunidos com o Conselho da Agricultura, com o Secretário da Agricultura, com o Sindicato relevando algumas coisas para a próxima administração. Temos que dar um olhar um pouco melhor para eles. Toda a ajuda é uma economia a mais para o agricultor. A situação vai melhor e vamos fazer um bom trabalho. Eles precisam de um acesso bom, de um emcascalhamento na propriedade. Vamos auxiliar em vários serviços.

Jornal: Muitos equipamentos foram adquiridos na Agricultura e a assistência se mantém e melhorias serão feitas?

Ceni: Com certeza. A aquisição de ensiladeira, patrulhas agrícolas. Vamos investir também em médicos veterinários, auxiliar com técnicos agrícolas. Fizemos muito, mas podemos fazer ainda mais.

Jornal: Sobre a experiência e caminhada. Duas vezes foi pedir voto para vereador e agora para a majoritária. Como foi isso?

Ceni: Foi uma experiência diferente. Como candidato a vereador era mais difícil pelo número de candidatos. Agora visitamos quase todo o Município, principalmente no interior. Eu acompanhei quase todas as propriedades juntamente com a Lucinda. Foi uma experiência boa. Foi bom pedir voto. Isso foi pela minha pessoa, pela pessoa da Lucinda, pelo excelente trabalho feito em quatro anos. A gente via no semblante das pessoas como seria o resultado. Fomos muito bem recebidos em todas as famílias.

Os eleitos também fazem agradecimentos:

Lucinda: Na outra campanha eu conhecia todos os moradores de Flor da Serra do Sul por causa do comércio que a gente teve há 32 anos. Posso dizer que conhecia todos, mas eu não sabia onde moravam. Com essa campanha de 2012 foi visitado 90% das casas. Nessa campanha de agora fizemos da mesma forma e eu sabia onde as pessoas moravam. Na campanha de prefeito você tem que passar em todas as casas. É diferente da de vereador. Eu só tenho que agradecer ao povo de Flor da Serra do Sul pelo acolhimento. Eles ficam felizes quando nos recebem: os idosos, crianças. Eu me senti emocionada de ver as pessoas me acolhendo com tanto carinho. Cada dia que passava eu me sentia mais feliz. Eu só tenho a agradecer. Também pela votação. Foram 2.417 votos, mas eu vou ser prefeita de todos. Quero fazer também um agradecimento para a minha família que sempre me apoiou.  Também agradecer a equipe que ajudou a administrar a campanha e os demais que ajudaram.

Ceni: Pedir o voto é uma necessidade de um candidato político. Fazer uma visita é uma questão de amizade. Muitas casas do Município eu nunca tinha visitado. Nem todos os votos conseguimos, mas fica a vontade de voltar pela boa recepção. A gente vê a gratidão delas por nos receber. Sentimos também cobranças, mas já estamos vendo algumas melhorias. Também foi uma caminhada de 45 dias que a gente aprendeu muito. As pessoas idosas tem muito que ensinar. A criança te dá um ânimo, uma alegria. Temos que fazer um agradecimento muito especial para a população pela recepção e pelo voto. Agradecer também toda a equipe porque ninguém ganha a eleição sozinho. A nossa equipe, mas também à família. Saímos de casa, mas alguém ficou em casa segurando as pontas. Essa gratidão devemos ter.